Cícero Dantas comemora 141 anos de emancipação política

Publicado em 09/06/2016 às 10h03

 

Nesta quinta-feira, 09/06/2016, o município de Cícero Dantas está completando 141 anos de emancipação política. A região está localizada no semiárido, próximo de Canudos e de Paulo Afonso.

No início do século passado, seu nome foi alterado para Cícero Dantas, em homenagem ao Barão de Jeremoabo que assim se chamava.

Antes da chegada dos colonizadores, era habitada por povos indígenas. Município criado com território desmembrado de Jeremoabo, e denominação de Bom Conselho, por Resolução Provincial, de 09/06/1875.

História

Foi no século XVII que aventureiros e vaqueiros da Casa da Torre saíram do litoral para os sertões em busca do precioso ouro, mas encontraram nas cercanias dessa região habitantes denominados “Kiriris”, estes povos viviam na civilização nativa, falavam a língua tupi e sobreviviam da caça e da coleta de frutos.

Também nesta época os missionários e desbravadores começaram a catequese deste povo nativo. Mas outra coisa que aconteceu com esta circulação constante de catequizadores para essa região, foi o surgimento de salteadores e malfeitores que roubavam e matavam pessoas honestas e humildes. E com isso começa a se formar o (Cemitério da Cacunéa) nas terras dos Kiriris.

Já em 1812 começou o aglomerado urbano, com a ordem do Arcebispo da Bahia, frei Apolônio de Toddi foi incumbido de prestar assistência aquele povo, e logo se encontrava no lugar, foi se encontrar-se com Dona Cacunéa, antiga moradora indígena e de imediatamente erigiu um cruz no cemitério onde celebrou a primeira missa. E sem perda de tempo começou a construção de uma capela.

  • Bom Conselho em 1875

Relatório enviado a José Eduardo de Carvalho, presidente da província da Bahia no ano de 1875 para a criação do município de Bom Conselho.

A topografia da sede era acidentada com a matriz dividindo os dois bairros Jatobá e Navio. O cemitério e a capela da Santa Cruz vista a grande distância, Casa da Câmara, dois barracões de feiras, 244 casas e edificações... Entre os acidentes geográficos enumera as Serras do Boqueirão “local da primeira casa”, Baiacu ao norte distante oito léguas, a “Serra do Capitão” que antigamente era a extrema da província de Sergipe, as lagoas do “Licuri”, Lagoa Grande e outros menores, o rio Real que corre da capela dos Buracos, distante seis léguas, e pequenos riachos que são perenes (...) Toda região sofre com secas periódicas. Não existem terras devolutas e as matas estão por se trabalhar. Os dois tanques estão em decadência. O ensino primário de escolas (7 para cada sexo) nas duas sedes da freguesia (...) Os limites do futuro município: Monte Santo ao poente; Pombal ao sul; Jeremoabo ao norte; Riachão dos Dantas, Campos, Lagarto e Simão Dias ao nascente. Distante da capital 60 léguas, 28 da estação férreas de Timbó e 28 léguas de Serrinha”.

Redação: cicerodantas.org

Com informações do pt.wikipedia.org 

Enviar comentário

voltar para Notícias

|||bnull||image-wrap|login news c05|c05|c05|login news c05|c05|c05|content-inner||