Euclides da Cunha - BA: Corpo é encontrado esquartejado em tanque de decantação de esgoto da Embasa

Publicado em 22/02/2017 às 00h02

 

Em meio a tantas informações desencontradas sobre crimes ocorridos neste domingo e segunda-feira, em Euclides da Cunha, que nem os órgãos de segurança pública sabiam exatamente sobre os supostos homicídios anunciados exaustivamente nas redes sociais, principalmente grupos do WhatsApp, ao menos, um deles foi confirmado com o achado de um corpo, supostamente de um jovem de nome Jeferson Brito Teles, 17 anos de idade, mais conhecido pelo vulgo de “Padeiro”, residente no Conjunto Habitacional Nossa Senhora de Lourdes, popularmente conhecido como “Casinhas”, em Euclides da Cunha - BA.

 
Padeiro tinha histórico de envolvimento com o tráfico de drogas, furtos e roubos de motocicleta, entre outros, de ser apontado por outros elementos do crime, como alcaguete sobre o roubo de motocicletas em Euclides da Cunha e região, que eram levadas para outros municípios circunvizinhos, onde passavam por adulteração nos sinais de identificação do veículo, mudança de características, etc., para serem trocadas por drogas ou comercializadas. Já tinha registro de passagem pela polícia.
 
A dupla face de Padeiro atraiu para si vários desafetos, inclusive uma tentativa de homicídio, fato ocorrido em 2016, quando elementos o atacaram em sua residência, ação que escapou ileso ao fugir pelo fundo da casa; porém, com consequências sérias para um morador da mesma rua, que movido pela curiosidade, fora baleado na virilha, ao sair de casa para ver o que se passava na rua, diante de tantos disparos de arma de fogo.
 
 
Padeiro era tido como um elemento “liso”, pela polícia, que por várias vezes tentou prendê-lo, porém, o mesmo conseguia escapar, ficava por um bom tempo fora de Euclides da Cunha e depois retornava e continuava com as mesmas práticas criminosas, segundo informações obtidas do serviço de investigação da polícia civil.
 
No último domingo (19), foi divulgada na rede social WhatsApp a notícia do desaparecimento de Padeiro, inclusive, com fotografias do corpo nominalmente identificado, já assassinado em um terreno de solo avermelhado, porém, nenhum comunicado ou registro fora feito à Polícia Civil, que continuou a informar não ser do seu conhecimento, já que não havia sido localizado nenhum corpo, mas que estava atenta às informações com alguma pista que eventualmente confirmasse ou não a morte do elemento.
 
Nas primeiras horas da manhã desta segunda-feira (21), pouco mais de dois dias após a notícia do desaparecimento de Padeiro, a informação chegou até a 1ª Delegacia Territorial de Polícia Judiciária de Euclides da Cunha, que alertava para a existência de um provável corpo que se encontrava envolto em lençóis, em um dos tanques de decantação e tratamento de esgoto da rede de esgotamento sanitário da cidade, no parque de operações da Embasa, situado à margem direita da rodovia BA 220, no sentido cidade ao distrito de Aribicé, próximo ao Conjunto Habitacional Minha Casa Minha Vida, local de residência de Padeiro.
 
Equipes da Polícia Civil e IML foram deslocadas para o local e constataram a existência de um corpo envolto em lençóis e amarrado em laços dados com a sobra de tecido dos próprios lençóis. Desfeitos os laços, a cena macabra veio à tona: o corpo havia sido esquartejado e, decapitado, colocado juntamente com pedras para torna-lo mais pesado e, assim, submergir rapidamente. No ato de abrir o volume, a cabeça, que se encontrava ao lado do corpo, rolou barranco a baixo e caiu no tanque de decantação. 
 
Voluntários tentaram ajudar a resgatar o membro, porém sem sucesso. Sem equipamentos adequados, mesmo assim, um voluntário tentou entrar no tanque, vestindo uma roupa impermeável que lhe protegia apenas, parcialmente, de onde fez várias tentativas com um galho de árvore em formato de forquilha, para localizar e resgatar a cabeça. Sem as condições necessárias para continuar o trabalho, desistiu, receoso de poder vir a contrair doença infecciosa grave.
 
Sem perspectiva de resgatar a cabeça, Dr. Wesley Lima, diretor do DPT-Departamento de Polícia Técnica, solicitou a vinda de uma equipe de resgate do Corpo de Bombeiros, unidade de Paulo Afonso, que deverá chegar, ainda nesta terça-feira, a Euclides da Cunha, para concluir o trabalho de resgate do corpo e, desta forma, oficializar ou não a sua identificação, já que sem a cabeça, torna-se mais difícil o trabalho, apesar da existência de outras metodologias de identificação, entre elas, o exame papiloscópico (leitura de impressão digital, impressão palmar, etc.). 
 
A identificação parcial do corpo foi feita por parentes próximos, baseados em alguns sinais característicos e roupa que trajava. Observadas as fotografias do corpo que foram postadas nas redes sociais, a polícia suspeita que o crime aconteceu em outro lugar e o corpo desovado no tanque de decantação de esgoto do parque da Embasa. As fotos que exibiam o corpo da vítima, que circularam nos grupos sociais, desde o dia do desaparecimento, dão veracidade ao fato e levantam-se suspeitas de que foram feitas por alguém que participou do assassinato.
 
Redação e fotos: www.euclidesdacunha.com.br
Edição: cicerodantas.org

Enviar comentário

voltar para Notícias

|||bnull||image-wrap|login news c05|c05|c05|login news c05|c05|c05|content-inner||