Poço Verde: Vereador é suspeito de dar explosivos a quadrilha

Publicado em 27/07/2015 às 23h32

Segundo o delegado do Cope, o vereador está foragido.

Um vereador do município de Poço Verde - SE, é suspeito de fornecer explosivos a uma quadrilha de ataques a agências bancárias no interior do Estado. A informação do envolvimento do vereador com a quadrilha foi divulgada na manhã desta segunda-feira, dia 27/07, pela Secretaria de Segurança Pública (SSP). Segundo o delegado Jonathas Evangelista, diretor do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), o vereador foi identificado como sendo Ricardo Henrique Nogueira de Oliveira.

"Após as primeiras prisões, nos levantamentos para saber a origem dos explosivos, fomos informado pelos presos que o comércio, a negociação teria sido realizada por um vereador de Poço Verde conhecido como Galego. Checamos, verificamos a informação e confirmamos através dos presos que o vereador tratava-se do Ricardo Henrique Nogueira de Oliveira. O que temos de informação é que o vereador tenha adquirido os explosivos possivelmente na Bahia e estava fazendo o repasse, a revenda aqui no nosso estado. Sabemos que o vereador já foi conduzido a polícia por ter sido encontrado com um veículo clonado e que tem um processo em andamento", conta.

Ainda segundo o delegado Jonathas Evangelista, o vereador está foragido. "Ele está foragido, se encontra em local incerto e está sendo procurado pela polícia. Sabemos que ele não está na sua residência e não comparece a sessão de poço verde já há alguns dias", garante.

A polícia aguarda e pede que o vereador se apresente no Cope para prestar esclarecimentos sobre o fato.

Prisões

Ao todo foram presos seis suspeitos de explosões a caixas eletrônicos, sendo eles Igor Antunes Souza, 34 anos, "Mezenga", José Wik Ribeiro dos Santos, 22 anos, "Shrek", Bruno Duque Santos, 25 anos, "Bruninho", Jadilson Flores de Melo, 25 anos, "Batata", Wallisson Araujo Santos, 21 anos, "Avatar", e Thiago Batista Nunes, 27 anos, "Thiaguinho".

"Desde a primeira explosão em março em Siriri que teve sequência logo da explosão da agência de Propriá, conseguimos identificar algumas pessoas que foram presas. Em maio, após explosões de agências de Arauá e Pacatuba fizemos outras prisões. Em maio fizemos as prisões dos indivíduos Menzenga, Shrek e Bruninho e a partir de então na quinta junto com o Getam prendemos o Batata, Avatar e Thiaguinho. Eles já confessaram participação na explosão das agências de Capela e Japaratuba".

As prisões dos suspeitos também foram efetivadas pelos policiais do Grupamento Especial Tático de Motos (Getam).

"Na primeira prisão, o Getam fez a prisão de Bruninho e Shrek e através dos dois, os policiais civis prenderam o Mezenga. Na quinta, prendemos o Batata e o pessoal do Cope conseguiu prender o Avatar e o Thiauinho. Todos eles confirmaram que compraram explosivos a um parlamentar municipal", informa o comandando do Grupamento Especial Tático de Motos (Getam), capitão Rivaldo Santos.

Com os suspeitos foram apreendidos dinamites, capuz, luvas e uma arma de fogo.

Com informações do www.lagartense.com.br

Enviar comentário

voltar para Notícias

|||bnull||image-wrap|login news c05|c05|c05|login news c05|c05|c05|content-inner||